Voyeur

Voyeur

0 444

Ela lia distraída, entregue, submersa. Foi-me um convite para um voyeurismo curto, um desejo que não sei explicar. Fato é que me excita assistir a alguém ler. Está feito, confesso.

Gosto de ver a delicadeza ou a tensão com a qual seguram as asas da capa, o detalhe do polegar afastando as pernas das páginas, devagar. Sou um tarado observador de leitores. Um tarado.

Minha respiração ralentava. Era eu quem respirava no ritmo que era dela. Eu era daquela garota, que de certa forma também era minha. Desnuda, vítima da minha vontade. Só havia um livro sombreando seus seios. Só havia um livro aquecendo sua vergonha. E era o livro emoldurando seu corpo que me excitava. Ela era a dona de um desejo demorado.

Ela lia como quem beija, sem pressa, sem culpa. Ela lia como quem margeia um campo com os olhos, contornando o horizonte, lentamente. Ela engolia cada palavra junto com a saliva, ela comia cada sentido, aquela mulher lambia devagarzinho cada página com as vistas. Metade de minha culpa exposta.

Ela passava as pernas sobre minhas coxas. Inaugurava mais um capítulo e se encaixava no meu colo. Acariciava o miolo do livro, como que acalmando a história, como que me dizendo para não ainda. Ela me tinha no abismo dos dedos. Eu era dela. Seu público interrompido, sua plateia silenciosa à espera de um movimento novo.

Reduzo meus dias observando a leitura dos outros. Dá prazer ver a entrega, a distração inocente, a falta de pudor, dá ainda mais prazer ver que não me veem. Quem vai entender a palpitação, o arroubo, o pulo que o meu coração dá no exato segundo em que eu abaixo as vistas para não ser visto? Eu sei que é pecado. Sei bem, não é certo. Mas desejo bom é desejo errado. Voyeur.

Diego Engenho Novo


A gente se encontra nas redes sociais : )

https://www.facebook.com/DiegoEngenhoNovo/

twitter: @engenhonovo

snapchat: diegoengenho

instagram: @engenhonovo

youtube.com/diegoengenhonovo

https://plus.google.com/+DiegoEngenhoNovo

 

 

SIMILAR ARTICLES

0 418

0 858