Gravado

Gravado

3 441

Em uma pequena portinha da Avenida São João. Foi ali que esperei por alguns minutos até recuperarem para CD uma fita K7 que encontrei em uma caixa antiga. Não havia nenhuma inscrição, capa, nem pista, nadinha. Só mesmo as escritas do tempo em seu acrílico ralado e um lado mais ouvido do que o outro dos lados. Em casa, sentei-me ao lado da janela como quem vai ouvir um amigo que telefona do exterior. Não era uma música. Era a voz de um menino. Era eu.

Som, som, som, testando. Gravando! Eu sei que com o tempo você vai se esquecer, mas hoje, tudo o que você mais quer é ter algum significado. Você tem? Encontrou pela vida pessoas que te amam muito, que cortariam o dedo por você? Você foi pra Índia, pro México, pra um faroeste? Sentiu o cheiro de um camelo? Você já comeu caramujo? Você já encontrou alguém que ame tanto que sinta dor de barriga? Você aprendeu a pilotar um avião?

Hoje na escola, a professora deu um livro e um desafio: quem em meia hora conseguiria encontrar mais palavras proparoxítonas (isso te serviu de alguma coisa? As proparoxítonas e a raiz quadrada de oito?). E não é que você ganhou? A professora disse que você era bom em encontrar palavras e você discordou, por dentro. Por que, não sei aí na frente, mas aqui, a gente sente que ainda não encontrou as palavras certas pra dar nome pro que sente. Você se encontrou com elas? Eu ainda existo por aí? Mesmo que um pouquinho em você? Eu ainda existo ou eu dei lugar para alguém que não entende nada de camelos, o animal mais incrível que existe? Tenho que ir. Câmbio desligo.

Fiquei ali, encolhido, meio que sorrindo, meio que chorando. Queria que ele soubesse que, sim, eu amei até sentir dor de barriga e tantas outras dores. Doeu pra caramba e foi incrível, vai entender. Que sim, eu encontrei algumas palavras, mas que muita coisa na vida prefere não ter nome. Que sim, me encontrei com gente que me amou bem mais do que eu já mereci. Você ficaria contente em saber que acabei de comprar uma passagem. Acabei de me lembrar que meu mundo é bem maior que essa ilha de sentimentos indigentes. Em março, sentirei o cheiro de um camelo, o animal mais incrível que existe. Eu prometo.

Diego Engenho Novo


A gente se encontra nas redes sociais : )

https://www.facebook.com/DiegoEngenhoNovo/

twitter: @engenhonovo

snapchat: diegoengenho

instagram: @engenhonovo

youtube.com/diegoengenhonovo

https://plus.google.com/+DiegoEngenhoNovo

SIMILAR ARTICLES

0 418

0 858