Cartas dos Leitores: Solidão Acompanhada

Cartas dos Leitores: Solidão Acompanhada

0 664

Diego, parabéns pelos seus escritos. Suas palavras são abençoadas e também me abençoam todas as terças e quintas. Na verdade, sinto como se você me conhecesse há muito tempo. Você é minha companhia por que eu me sinto sempre muito sozinha. Não sou ingrata. Tenho uma família linda. Já tenho um netinho de três anos, meus filhos estão felizes e vencendo na vida, meu marido mesmo após trinta anos juntos ainda é meu maior companheiro. Por isso, me sinto culpada. Por que eu me sinto tão sozinha mesmo tento tudo o que sempre sonhei?  Eu não posso dividir isso com ninguém. Ninguém pode entender. Nem eu mesmo entendo bem. A verdade é que me sinto culpada por sentir isso. Um beijo carinhoso, Edna (São Caetano do Sul – SP)


Ei Edna, obrigado pelo carinho.

As suas palavras também me abençoaram daqui. De verdade. Também acho que nos conhecemos, porque eu, como muita gente que está lendo isso agora, sinto algo bem próximo do que você está sentindo. Eu gosto de diferenciar bem a solidão da solitude. Quando você precisa de tempo, coloca uma música gostosa pra ouvir no carro, cozinha algo novo com uma mesa incrível para si, toma um banho demorado, vai ao cinema sozinha pra se divertir, você está vivenciando a solitude. Você está fisicamente só, mas com a alma acolhida.

Isso faz um bem danado e deve ser exercitado, porque não é fácil. Muita gente vai olhar torto para a mulher sozinha com seus óculos 3D. Solidão é o que você vive. Vem de dentro e não de fora. Ela pode ter nascido com você ou crescido aos pouquinhos, como um barranco que vai sendo engolido pela margem do rio. Não se sinta culpada. Essa inquietação, essa dúvida, essa busca, fazem parte de quem você é, de quem todos somos. É claro que a sua família é muito importante, mas há um lugarzinho lá dentro em que o lance é você com você mesma.

Se você tivesse uma vida completamente diferente, se hoje você vivesse fosse babá de gêmeos em Nova Iorque ou monja no Nepal, provavelmente ainda estaria sentindo essa mesma solidão acompanhada. Minha melhor amiga, Clarice, tem mania de escrever trechos de livros nos ladrilhos do banheiro. Em um deles diz: “Solidão é uma ilha com saudade de barco”, essa frase é de uma escritora muito especial chamada Adriana Falcão. Cadê o seu barco, Edna? O que ele vem trazendo do horizonte? É bem provável que a sua solidão só seja um aviso vindo da ilha, pedindo suprimentos, pedindo visitas.

Ei, está tudo bem com essa família incrível que você criou. Que tal agora, responder aos seus próprios chamados e transformar essa solidão em uma linda solitude? Você vai ficar ótima com aqueles óculos 3D. Se alguém olhar de cara feia, ignore. Boa parte daqueles casais grudados no cinema, também estão se sentindo muito sozinhos. Toca o barco! Qualquer coisa, estou por aqui. Escreva sempre que se sentir mais solitária do que sozinha.

Diego

(Nomes, locais e fatos podem ter sido alterados ou subtraídos para preservar a privacidade das pessoas envolvidas). Envie a sua carta para cartas@palavracronica.com.br)

SIMILAR ARTICLES

0 1202

0 1268